Só no primeiro semestre de 2018 já foram abertas mais de 1,2 milhões de novas empresas no Brasil, o que representa um aumento de 10,7% em relação ao mesmo período de 2017.


O número é impressionante, mas infelizmente uma grande parte desses empreendimentos não irão sobreviver. A falta de planejamento, o desconhecimento do mercado e dificuldades financeiras são fatores que podem condenar a empresa. Para evitar isso você pode recorrer às pesquisas de mercado.

É intuitivo, quando não sabemos de algo, pesquisamos em livros, na internet ou com outras pessoas. E por que não fazer isso para as empresas? As pesquisas de mercado mais comuns são as chamadas quantitativas que, como o nome sugere, se baseiam em uma grande quantidade de respondentes para tirar conclusões. Nesse grupo estão aquelas pesquisas realizadas pela aplicação de questionários, por exemplo. Existem também as qualitativas, onde o número de respondentes é bem menor, mas é possível analisar bem mais a fundo e conseguir informações valiosas. São os grupos focais e entrevistas em profundidade, por exemplo.

É de extrema importância para uma empresa conhecer o mercado em que está inserida, conhecer quem são seus concorrentes, entender o que o cliente pensa a respeito do produto ou serviço, saber qual a imagem que sua marca carrega. Esses e muitos outros pontos são cruciais para a implantação e sobrevivência de qualquer empresa e podem ser obtidos por meio das pesquisas de mercado. Com essas informações em mãos fica muito mais fácil traçar os caminhos que a empresa deve seguir, tornando as decisões mais fáceis e assertivas.

 

Autor: Felipe Magoga