Em 1970, ao fazer a transição da fabricação de memórias de computadores para entrar no segmento de microprocessadores, a Intel alinhou toda a sua equipe para que os membros compartilhassem as metas uns dos outros. Tais metas eram revisadas trimestralmente e, conforme avaliações realizadas, eram revisadas ou substituídas, para alcançar o sucesso da transição na empresa. 


Assim, surgiu o conceito de OKR – Objectives and Key Results – um modelo de gestão ágil com foco em resultados, que mais tarde foi adotado por diversas empresas presentes no Vale do Silício. 

Dividido em objetivos e resultados-chave, o OKR pode ser adotado a nível organizacional, departamental ou individual. 

Para a definição do objetivo, é necessário atenção aos seguintes pontos: 

  • Seja um objetivo qualitativo; 
  • Abrangente ao todo que se quer alcançar; 
  • Simples e; 
  • De fácil memorização; 

Os resultados chave são definidos a partir de um objetivo, e para isso considera-se: 

  • Serem um total de 2 a 5 por objetivo; 
  • Obrigatoriamente quantitativos; 
  • Específicos ao que se quer alcançar; 
  • Com prazo estabelecido para atingi-lo. 

A explicação para a estrutura de um OKR se apresenta do seguinte modo: 

Eu vou (Objetivo) medido por (esse conjunto de Key Results). 

A escolha da metodologia OKR pelas empresas parte do sucesso que se quer alcançar, considerando as ações realizadas e o potencial de cada organização. O OKR é adaptável a diferentes dimensões de negócios, que definem conforme as suas respectivas necessidades o tempo de revisão de cada meta estipulada, por esse motivo é um modelo que deve ser compreendido por todos os envolvidos. 

A empresa que adota o OKR como seu modelo de gestão, possui vantagens como: agilidade de mudanças, alinhamento e cooperação multifuncional, comunicação clara, metas ambiciosas e engajamento dos funcionários. 

A ideia é sair da zona de conforto, seguir o sentido 60bottom up – em que a parte mais baixa do organograma da empresa tem grande importância no alcance dos objetivos. Além disso, a gestão por OKR estabelece as chamadas stretch goals, ou metas estendidas, que têm em si valores que demonstram a quase impossibilidade de alcançá-las 100%, quando na verdade, o crescimento da empresa supera o esperado. 

A Dinâmica Consultoria em sua atual gestão (2018) adota a metodologia OKR e pode, a partir dessa experiência, ajudar a sua empresa na definição do seu Planejamento Estratégico. 

Autora: Natália Bernardes