(44) 99880-0690 contato@dinamicaej.com.br UEM - Maringá/PR

KPIs e Indicadores de Negócios: Saiba como analisar as metas da empresa

KPIs

KPIs e Indicadores de Negócio fazem parte da gestão estratégica do negócio e fornecem uma visão analítica dos processos e da saúde financeira da empresa.

Sabemos que, para conseguir obter uma empresa de sucesso, é necessário ter uma boa gestão de todos os processos da empresa, desde os internos até aqueles que representam o pós-compra do cliente.

E, para conseguir esse bom gerenciamento, é preciso analisar números: o que entra, o que sai, o que vende mais, o que não está tendo uma boa performance, entre outros.

Sendo assim, uma excelente maneira de conseguir essas análises é através da implementação e utilização de Indicadores de Negócio. O mercado encontra-se com uma concorrência crescente, obrigando que as empresas se adequem ao máximo às mudanças e se apeguem àquilo que realmente funciona.

Desse modo, é fundamental estabelecer indicadores que fornecerão um entendimento da performance do seu negócio como um todo, ou de cada detalhe que você desejar analisar.

É sobre esses indicadores que falaremos ao longo desse conteúdo: a utilização de KPI de forma estratégia para alavancar a gestão e os resultados da sua empresa. Confira!

Afinal, o que é KPI?

Você deve estar se perguntando o que exatamente é KPI, não é mesmo? KPI consiste na sigla para Key Performance Indicator, isto é, Indicador-chave de Desempenho, e como dito anteriormente, estão ligados diretamente às estratégias de gestão do negócio.

Basicamente, o KPI visa analisar se as estratégias da empresa estão tendo sucesso, de modo a realizar uma espécie de gerenciamento de performance e desempenho dos processos.

Ou seja, além de mostrar resultados e fornecer análises completas, o KPI também realiza um acompanhamento das metas internas do negócio. Desse modo, é possível perceber quando existe algum problema.

E, a partir disso, os gestores passam a compreender o que precisa ser melhorado, otimizado ou corrigido para que essa discrepância seja suprida e o problema desapareça. Melhor ainda, certo?

Subdivisões de KPIs

Agora que você já entendeu do que se trata um Indicador-chave de Desempenho, é preciso contextualizar que existem algumas subdivisões e subcategorias.

Existem três tipos de KPIs: primários, secundários e práticos

KPIs Primários

Basicamente, são os principais KPIs da empresa, e normalmente, são os que os líderes gostam mais. A partir deles, é possível analisar se as estratégias realmente estão trazendo benefícios e vantagens para o negócio.

Ou seja, os gestores podem analisar se a empresa está obtendo os resultados esperados do planejamento de metas.

KPIs Secundários

Já os KPIs secundários devem servir como um apoio para os primários. Com eles, é possível entender se as estratégias estão seguindo o percurso esperado para que a meta estabelecida seja alcançada.

Assim, os secundários devem reforçar os KPIs primários, mostrando e explicando como os resultados estão sendo atingidos. Isto é, mostrar uma justificativa e uma explicação para os números obtidos nas análises.

KPIs Práticos

Por fim, temos os KPIs práticos, que funcionam como um acompanhamento dos processos e das metas da empresa para que o resultado esperado seja alcançado.

Categorias dos KPIs

Bom, agora que você já se aprofundou ainda mais, vamos para o próximo passo onde, além das subdivisões dadas acima, ainda falaremos sobre as categorias de cada KPI e mostraremos as diferentes formas de como eles podem ser implementados na sua empresa.

Mas, antes disso, é preciso deixar algo claro que talvez tenha ficado um pouco confuso: métricas e indicadores não são a mesma coisa.

Métricas x Indicadores de Desempenho

Resumidamente, as métricas consistem em algo a ser medido e quantificado. Caso as métricas forneçam análises relevantes ao negócio, elas podem vir a se tornar um indicador-chave para a organização.

As métricas podem ser utilizadas para fornecer relatórios e insights, colaborando e ajudando nas tomadas de decisão pelos gestores.

Ótimo! Agora que essa diferença ficou clara, podemos dar continuidade às categorias dos KPIs. Decidir qual será o indicador utilizado é responsabilidade dos gestores, e para escolher o mais ideal, é preciso levar em consideração o próprio negócio, o que deve ser analisado e o mercado em que está inserido.

Indicador de Produtividade

Os indicadores de produtividade analisam a eficiência dos processos da empresa, além de avaliarem o rendimento dos mesmos. Isto é, fazem uma análise dos recursos necessários para entregar um produto ou serviço e como são avaliados posteriormente.

Indicador de Qualidade

Os indicadores de qualidade se relacionam diretamente à produtividade, mas esses fazem análise de casos diferentes, como quando ocorrem imprevistos no processo produtivo ou qualquer ocorrência que não esteja de acordo com os conformes.

Indicador de Capacidade

Os indicadores de capacidade, basicamente, analisam a capacidade de respostas dos processos, ou seja, quanto uma máquina é capaz de produzir em uma certa quantidade de tempo.

Esse indicador também ajuda a fornecer uma análise do quão competitiva a empresa está no mercado, uma vez que proporciona uma comparação entre a concorrência.

Indicadores Estratégicos

Os indicadores estratégicos fornecem análises da situação atual da empresa em relação às metas definidas anteriormente. Ou seja, fazem uma comparação entre o cenário atual e o que era o esperado para o momento em questão.

Normalmente, metodologias ágeis são utilizadas em conjunto com os indicadores. Temos um e-book gratuito sobre essas metodologias! Preencha o formulário abaixo para baixá-lo!

E quais os benefícios de utilizar indicadores?

Bom, é claro que quando pensamos em soluções e inovações para levarmos para nossa empresa ou para nossos gestores, queremos levar algo que seja realmente útil e que chame a atenção de quem estará vendo pela primeira vez, certo?

Então, te apresento alguns dos benefícios de implantar indicadores de desempenho dentro do seu negócio!

Análises concretas

Como já citado anteriormente ao longo do texto, com a utilização de indicadores é possível obter análises reais e concretas, além de uma percepção realista da empresa, envolvendo fatores financeiros.

Possibilidade de ajustes

Com os indicadores, é possível ter uma visão de, literalmente, “em que pé” o negócio se encontra. Ou seja, se está de acordo com o esperado e planejado.

Caso não esteja, é possível que os gestores façam ajustem de metas ou de estratégias, para que o resultado positivo possa ser alcançado de alguma maneira. E, com isso, entramos no próximo tópico:

Planos de ação

Como dito acima, com os indicadores, ao avaliar que um processo não está apresentando uma boa performance, é possível traçar planos de ação para que essa falha seja resolvida.

Ou seja, isso mostra que o processo não precisa ser engessado e está apto à mudanças que visem o objetivo final: sucesso!

Detalhes dos fatores

Além disso, torna-se possível entender o que está funcionando bem e o que não está tendo um significado expressivo. Desse modo, os líderes conseguem entender o que exatamente está atrapalhando e influenciando negativamente o alcance das metas estabelecidas anteriormente.

Equipes alinhadas

Por fim, o “último” benefício que trouxemos aqui (existem muitos outros!), é o alinhamento e a responsabilidade que a utilização de indicadores acarreta para as equipes operacionais e gestoras.

Com eles, as equipes e cada colaborador individualmente, conseguem fazer uma análise de seu progresso, entendendo o que já foi alcançado, gerando uma motivação devido ao reconhecimento de seus esforços.

E, além das conquistas, também é possível analisar o que ainda falta para que o objetivo final seja alcançado, conscientizando e engajando a equipe a continuar trabalhando e entregando seu melhor, sempre.

E como escolher e aplicar os indicadores?

Está otimista em relação aos indicadores? Pois bem, agora iremos mostrar como a utilização dos indicadores pode ser colocada em prático dentro da sua empresa!

Primeiramente, é preciso retomar o que já foi dito no início do conteúdo. Antes de aplicar qualquer tipo de indicador, é necessário entender o processo a ser analisado, conhecer o mercado, e principalmente, identificar o que a equipe deseja analisar e quais informações ela deseja tirar disso.

Isso porque, ao escolher o indicador errado, as análises também serão erradas…. ou seja, você não terá as análises que deseja.

Além disso, é preciso optar por um KPI que seja mensurável, que forneça dados concretos para que o sentido do mesmo seja colocado em prática. Sendo assim, escolha um KPI que seja relevante para seu negócio, de modo a fornecer insights para escolhas ou tomada de decisão específicas.

Exemplos de KPIs

E, se você chegou até aqui, confira alguns exemplos de indicadores KPI que você pode aplicar na sua empresa!

Conversão em leads

Se você trabalha com marketing, é essencial que você tenha acesso às taxas de conversão. Ou seja, quantos dos seus visitantes de fato tornam-se leads? Para isso, basta dividir o número de conversões pelo número de acessos.

Trials

Aqui, mede-se quantas amostras grátis realmente vêm a se tornar compras e clientes, futuramente.

Para aumentar esse índice, é necessário chamar a atenção do lead, oferecendo amostras grátis de materiais baixáveis (e-books, ferramentas, infográficos, planilhas) de qualidade.

Assim, o usuário sente utilidade no produto ou serviço e vai querer adquirir uma versão completa.

Índice de Churn

Churn, basicamente, mede a taxa de cancelamento que um determinado produto ou serviço possui, ou seja, a taxa de desistência e de ruptura de contratos.

Sendo assim, o ideal é manter esse índice equilibrado para que a empresa não se depare com surpresas negativas e um possível prejuízo.

Receita Mensal e Anual Recorrentes

Aqui, caso as receitas sejam maiores que o índice de churn, temos um churn negativo, o que é muito bom para a saúde financeira da empresa, além de representar um índice de qualidade do que é entregue ao cliente!

Clientes Ativos

Relacionado ao índice de Churn, temos a porcentagem de clientes ativos. Primeiramente, é preciso que a empresa tenha sua própria definição do que é um cliente ativo para sua própria realidade.

Caso essa porcentagem caia, é possível traçar planos de ação para que novos cancelamentos e desistências ocorram.

Taxa de Crescimento de Clientes

Com essa taxa, é possível analisar a taxa de crescimento de novos clientes a partir da quantidade de novas vendas em um período estabelecido.

Essa análise pode ser feita a partir de dados e comparações semestrais, mensais, quinzenais ou, até mesmo, semanais. Tudo dependerá da realidade do empreendimento e do que a equipe responsável deseja analisar.

Conclusão

Então, podemos concluir que indicadores de negócios são muito importantes gerir processos em busca de um objetivo final. A partir deles, a equipe consegue visualizar suas operações e entender se essa é o percurso ideal ou se algo precisa ser alterado.

Com isso, também podemos confirmar a importância e a relevância de um bom planejamento estratégico dentro das empresas. Conseguir traçar metas que possuem um desenvolvimento estratégico por trás com certeza trarão benefícios para o negócio.

Sendo assim, para começar a escolher quais indicadores e quais KPIs são os mais ideais para a realidade da sua organização, nós da Dinâmica Consultoria podemos te ajudar!

Oferecemos um serviço de Planejamento Estratégico, o qual analisa indicadores para que metas tangíveis sejam traçadas. Através dele, são utilizadas metodologias ágeis para otimização dos processos.

Portanto, se você deseja proporcionar uma visão analítica dos processos, obter um diferencial competitivo frente ao mercado e entender o crescimento financeiro da empresa, cheque nosso serviço de Planejamento Estratégico!

Além disso, não esqueça de baixar nosso e-book gratuito sobre Metodologias Ágeis! Caso queira saber mais, entre em contato conosco!






19 / 107

Deixe uma resposta

Required fields are marked