(44) 99880-0690 contato@dinamicaej.com.br UEM - Maringá/PR

Gestão de Estoque: como ter um estoque assertivo e manter o nível ideal

Gestão de Estoque

Nem muito, nem pouco. Essa é a regra que define a Gestão de Estoque

Em toda empresa, seja ela qual for, se trabalha com algum tipo de estoque. Desde fábricas a escritórios, de matérias-primas a insumos para o dia a dia da empresa.

A fim de que o negócio tenha controle sobre seus estoques, tendo noção dos itens que possui em cada momento e de futuras necessidades é que surge a Gestão de Estoque.

Além disso, é capaz de manter os estoques em níveis que não tragam prejuízos à empresa. Dessa forma, são mantidos estoques nem escassos, nem exagerados.

Acompanhe nosso conteúdo e entenda muito mais acerca da Gestão de Estoque e como ela pode ser essencial para sua empresa.

O que é e qual a importância da Gestão de Estoque?

Sobre isso, não há muito segredo: a Gestão de Estoque é responsável por manter os estoques da empresa em níveis ideais, capazes de suprir a demanda de produção de forma que não tragam prejuízos à mesma.

Essa gestão é realizada analisando-se o comportamento da demanda em cada período. A partir disso, pode-se encontrar as necessidades de cada matéria-prima a partir do consumo das mesmas por cada produto, as entradas e saídas da empresa, quando os insumos serão necessários, entre outros.

Ou seja, o nível tanto de matéria-prima quanto de produtos finalizados deve ser tal que, quando surgir uma demanda, esta possa ser cumprida sem atrasos.

Porém, por mais que atender os pedidos seja algo essencial, esse nível não deve ser tão alto a ponto de ter muito mais que o necessário e se tornar algo excessivo. 

Com isso, entende-se a grande importância da Gestão de Estoque.

Ao realizar uma análise assertiva da demanda, haverá um maior entendimento acerca de quais produtos e insumos serão necessários. Assim, seguindo essa quantidade e tendo isso em estoque, há uma garantia muito maior do atendimento da demanda.

Além disso, também é possível analisar as sazonalidades a fim de encontrar um tamanho ideal de estoque de segurança. Com esses estoques, há maior garantia de que mesmo quando o comportamento fugir do esperado, ainda haja capacidade de atender a demanda.

Isso faz com que os pedidos sejam entregues no tempo certo, garantindo uma maior satisfação dos clientes e consequentemente maior sucesso da empresa.

Além disso, é importante ressaltar que a análise da Gestão de Estoque também recai sobre o excesso dele, sendo possível a identificação do que poderia ser reduzido, focando o investimento em outras coisas.

Você sabia que a Dinâmica oferece uma ferramenta de Controle de Estoque? Baixe-a gratuitamente preenchendo o formulário abaixo!

Os métodos para realizar uma Gestão de Estoque

Para a realização da Gestão de Estoque, as empresas seguem alguns métodos que, dependendo de suas características, determinam como a mesma será feita.

PEPS

O método PEPS se trata de uma sigla para “primeiro que entra, primeiro que sai”.

Como o próprio nome já diz, esse método se baseia em vender os produtos que tenham sido produzidos há mais tempo e chegado antes no estoque, mantendo nele os mais recentes.

Isso evita que apenas os produtos mais novos saiam para venda e esses, por serem mais antigos, fiquem parados no estoque, evitando até mesmo a perda deles.

Por isso, é um método muito vantajoso para empresas que trabalham com produtos que possuem prazo de validade, por exemplo. 

UEPS 

O método UEPS é justamente o oposto ao PEPS. Ele significa “último que entra, primeiro que sai”.

Ou seja, aqui quem sai para a venda são os produtos mais recentes e os que permanecem em estoque são os mais antigos.

Esse é um método aplicado apenas para a Gestão de Estoque das empresas, pois não é um método aceito pela legislação fiscal.

Isso porque, como o custo de lotes mais recentes tende a ser maior do que os antigos, o estoque acaba ficando supervalorizado e o resultado da empresa não reflete o real. 

Curva ABC

A curva ABC se trata de um método que identifica quais são os produtos mais significativos para a empresa, ou seja, os que mais vendem e que mais contribuem para os resultados da mesma. Com isso, se prioriza quais devem ter maior quantidade em estoque.

As curvas são classificadas da seguinte forma:

Curva A: são os produtos responsáveis por 80% do faturamento da empresa, que geralmente são 20% de todos os produtos que o empreendimento possui. Esses são os produtos mais importantes que devem ter maior foco de atenção. 

Curva B: são os produtos que trazem 15% do faturamento da empresa, sendo que estes representam 30% dos produtos totais. Sua importância é média, não sendo tão considerados como os da curva A.

Curva C: são os produtos responsáveis pelos 5% restantes do faturamento e também os outros 50% do total de produtos. Mesmo abrangendo metade deles, recebe pouca importância por não ter tanta representatividade no faturamento. Por isso, é a curva que recebe menos atenção e importância dentro da gestão de estoque.

Custo Específico

O método do custo específico trata do custo do estoque. Cada um dos produtos armazenados possui seu custo específico, e, somando todos, tem-se o custo do estoque.

É um método eficiente para empresas que trabalham com poucas mercadorias armazenadas e não possuem muita movimentação no estoque, por ser mais fácil de trabalhar com os produtos individualmente.

Custo Médio

Assim como o método anterior, o custo médio foca no custo do estoque. Neste, os custos dos produtos em estoque são atualizados sempre que entra nele uma nova mercadoria. 

Esse custo é calculado realizando a média ponderada dos valores das compras dos produtos mais antigos e dos mais novos em estoque. Ou seja, soma-se os valores dos custos de cada um dos pedidos e em seguida divide-se pela quantidade total de produtos armazenados.

O custo médio se trata de um método muito vantajoso quando se tem dificuldade para calcular o preço unitário de cada produto. Além disso, também traz fortes benefícios para empresas com grandes estoques, por calcular um custo geral, e não para cada produto.

E o que uma boa Gestão de Estoque pode evitar?

Como vimos, a Gestão de Estoque existe para que o controle do mesmo seja feito de maneira assertiva e que se entenda a real necessidade dos produtos. 

Com essa real necessidade em mãos, pode-se ter um estoque no nível ideal. Isso porque, tanto um estoque excessivo quanto um abaixo do necessário podem trazer grandes prejuízos.

Em relação aos estoques excessivos, deve-se preocupar com a saúde financeira da empresa. Isso porque produtos além do necessário armazenados representam investimento paralisado, que poderia estar sendo movimentado e melhor utilizado de outra forma.

Além disso, existem para os estoques custos de estocagem. Dessa forma, quando há produtos em excesso, existe mais essa despesa sendo aplicada sem necessidade.

Por outro lado, também existem os prejuízos de um estoque abaixo do que se precisa. Afinal, se não existe estoque, seja de insumos para a produção ou de produtos para a venda, a demanda fica atrasada e o cliente sem sua compra. Com isso, pode-se gerar insatisfação por parte dele, e no fim até mesmo perder sua fidelidade, e, consequentemente, futuras vendas.

Um outro ponto que pode ser analisado e previsto a partir da Gestão de Estoque são as sazonalidades que ocorrem ao longo dos períodos. Sabemos que, por exemplo, árvores de Natal vendem mais em períodos próximos ao final do ano, assim como sorvetes vendem menos em épocas de frio.

O ponto aqui é saber quais são os períodos de oscilação da demanda dos produtos para que se possa planejar e produzir de acordo com ela. Isso evita que, em períodos de alta demanda, aconteça de o estoque estar baixo e não ser possível atendê-la, assim como de em períodos de baixa produzir mais que o necessário.

Conclusão

Vimos então que toda empresa tem muito a ganhar ao realizar uma Gestão de Estoque. Isso porque, com uma análise sobre a demanda e as quantidades armazenadas, é possível se planejar de forma a atender os clientes e cumprir toda essa demanda.

Da mesma forma, muitos erros e prejuízos podem ser evitados ao se garantir o nível ideal do estoque, desde perdas com investimento parado até mesmo vendas futuras.

Por ser algo de grande importância e muito abrangente, se faz essencial o auxílio de sistemas ou até mesmo ferramentas para controlar estoques.

A Dinâmica possui uma ferramenta estruturada de Controle de Estoque, que possibilita essa análise acerca dos itens em estoque da empresa.

Com ela, você pode coletar e controlar seus dados de forma assertiva e tomar planos de ação eficazes. Baixe-a gratuitamente!

Por fim, não se esqueça de navegar mais por nosso site e explorar muito mais conteúdos!

E claro, para qualquer dúvida, estamos sempre à disposição. Entre em contato conosco!

Por: Caroline Costa

Tags In
1 / 115

Deixe uma resposta

Required fields are marked