Gestão da inovação

Existem inúmeras maneiras de definir o que é inovação. Uma delas, inclusive bem abrangente, diz que a inovação é a habilidade de estabelecer relações, detectar oportunidades e tirar proveito delas. É daí que vem o termo gestão da inovação, que não refere-se a apenas uma inovação pontual. Esse termo está relacionado a conscientização da importância de um ambiente que proporcione a geração de inovações. Ou seja, uma organização inovadora possui a capacidade de criar um espaço que favoreça a formação de ideias e que estimule a criatividade dos membros da empresa.

Onde a gestão da inovação pode ser aplicada?

A gestão da inovação pode atuar em diferentes áreas. Por exemplo, existe uma grande correlação entre novos produtos e o desempenho das empresas. Isto é, novos produtos atuam na conquista e na manutenção de fatias do mercado. Levando em conta a redução do ciclo de vida dos produtos, a habilidade de substituí-los por uma versão mais moderna se tornou indispensável. Além disso, a necessidade de correr contra o tempo faz as empresas agirem sob pressão. Isto explica-se pela necessidade de ser mais veloz que seus concorrentes e desenvolver produtos que atendam os critérios do consumidor. Produtos mais consolidados no mercado não são vendidos apenas por critérios relacionados a preço, mas sim por fatores que envolvem design, customização e qualidade.

Semelhantemente, a prestação de serviços mais baratos, com qualidade e de forma rápida é uma vantagem competitiva. A gestão da inovação em serviços tem se tornado cada vez mais importante. Isto deve-se ao fato de o mercado estar orientando-se cada vez menos para produtos. O foco está na criação de valor e experiência para o cliente por meio do serviço oferecido.

De onde vem a inovação?

A inovação está relacionada com a união criativa de perspectivas diferentes. Não importa qual seja o objetivo do projeto. Seja o desenvolvimento de um novo aplicativo, uma nova embalagem para um produto ou novas maneiras de prestar serviço em um banco. Pessoas trabalhando juntas, em um ambiente que estimule a inovação, formam equipes de alto desempenho e, com isso, o sucesso é consequência. Quando isso é disseminado dentro da empresa, os resultados são surpreendentes. Em contrapartida, o desafio é criar esse ambiente que instigue a inovação. Ou seja, desenvolver uma gestão em que a inovação seja intrínseca.

As atividades que originam novos produtos ou serviços são guiadas pelos processos da gestão da inovação. E por meio deles, se torna possível disseminar a inovação no ambiente organizacional. Um exemplo de processo de inovação é o inspirado no design. Esse modelo coloca a perspectiva do usuário do produto ou serviço como centro da discussão. Ele se inicia com a investigação do ambiente do usuário e com atividades de ideação, onde são geradas soluções. Em seguida, vem a fase de prototipação e a análise de testes dos protótipos. Uma sugestão é o uso da abordagem do Design Thinking que busca soluções inovadoras focadas nas reais necessidades do mercado.

Mas, para começar a entender como está o estado da sua empresa quanto a gestão da inovação, você pode analisar se nela existe, por exemplo, um processo de captação de ideias. Ou até mesmo, se os colaboradores possuem uma ideia clara de como a inovação pode ajudar na competitividade do mercado. Caso as respostas tenham tendido para o lado negativo, está na hora de você começar a dar mais atenção para os processos que estimulam a inovação. Não só para tornar sua empresa em uma organização inovadora, mas também para se ajustar a velocidade do mercado.

Autora: Bruna Mayumi