eNPS satisfação colaboradores

O eNPS é um indicador que mede o grau de satisfação dos funcionários ao trabalhar na empresa. Portanto, é uma pesquisa aplicada que leva em consideração a pergunta principal: De 0 a 10 quanto você indicaria a alguém trabalhar na *nome da empresa*?

A partir daí o funcionário poderá ser um detrator da empresa, caso tenha dado uma nota de 0 a 6; neutro, com notas de 7 a 8; ou por fim, promotor, se atribuir a nota de 9 a 10.

Esse indicador permite levantar quais otimizações pontuais podem ser feitas. E por ser muito fácil e rápido de ser respondido, a frequência da sua aplicação pode ser em um curto período de tempo.

Aqui na Dinâmica, nossa gente é um dos valores, portanto possuímos um cuidado grande quanto a esse assunto. E como conseguimos ao longo dos anos manter um eNPS promotor?

Bom, abaixo vou compartilhar alguns planos de ação para manter os colaboradores engajados, promotores da marca e que você também pode aplicar!

Por onde devo começar para melhorar o eNPS?

Para que o membro esteja engajado nas suas atividades, é necessário que o mesmo saiba para qual objetivo ele está fazendo isso e o que ele vai obter de ganho pessoal.

Dessa forma, vamos falar um pouco de como desenvolver cada pessoa em sua forma individual e reter esses talentos.

Descrição de cargos

O descritivo dos cargos consiste em formalizar a função de cada cargo na empresa. Com isso, as responsabilidades são definidas, e também quais os conhecimentos específicos necessários são levados em consideração.

Dessa forma, é um ótimo jeito para que os colaboradores tenham a oportunidade de crescer dentro da empresa, pois eles podem desenvolver suas competências voltadas para o cargo que mais o atrai dentro da organização.

Com isso, em suas metas do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI), o membro consegue se aprimorar nas skills que estão em falta e estar mais focado para o que almeja.

E já que mencionei sobre isso, o que é o PDI?

Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)

O Plano de Desenvolvimento Individual tem como objetivo desenvolver os colaboradores a respeito das suas competências, sejam elas soft skills e hard skills.

Isto é, abrange tanto os interesses da empresa como também fortalece cada indivíduo de maneira personalizada, para o cargo ou condição que deseja chegar.

Ou seja, é uma forma para que os funcionários cresçam e permaneçam na empresa a longo prazo.

Portanto, vamos falar agora sobre como elaborar um PDI com o colaborador.

Alinhamento

No alinhamento, são levantadas as competências de cada indivíduo, portanto vale ressaltar a importância do feedback e o autofeedback nessa etapa.

Com isso, é conversado também sobre o objetivo que se deseja chegar.

Plano de ação

Definidos então a situação atual e o objetivo, são elaborados os planos de ação para que possa ser desenvolvida tal competência.

Portanto, podem ser mapeados os cursos a serem assistidos, ou alguma leitura que possa tratar sobre o que quer ser potencializado.

O que é feito em muitas empresas é o destino de uma quantia por funcionário, para que o mesmo possa investir em sua própria capacitação.

O PDI pode ser também uma ótima estratégia para levantar treinamentos que os colaboradores possam sentir necessidade no geral.

Dessa forma, eles acabam sendo mais assertivos com o que os colaboradores esperam.

Acompanhamento e Revisão

É importante que seja definida a duração do PDI. Assim, o colaborador tem um prazo para poder se aprimorar.

O tempo varia de acordo com a realidade de cada empresa, pode ser semestralmente, trimestralmente ou até mensalmente.

Passado esse período, o membro volta a revisar seus objetivos, e alinhar novamente o que pode ser melhorado.

Feedback

Todos nós sabemos quão importante é receber e passar um feedback, não é? Alinhado muito ao que disse anteriormente no PDI, com o feedback é possível enxergar a partir da percepção de outra pessoa, como está sendo a execução do seu próprio trabalho.

Com isso, é possível identificar se o que foi proposto está se tornado realidade.

Outros benefícios que o feedback proporciona é o conhecimento dos pontos fortes e fracos, o aumento da motivação, aumento da qualidade no trabalho, aproximação entre os membros das equipes, aumento na confiança, entre muitas outras coisas.

Logo, é essencial que sejam alinhadas as expectativas de ambas as partes para que não haja frustrações.

Uma boa dica é fazer periodicamente, podendo ser até alinhado com o PDI, um feedback entre o líder direto e o subordinado e também, entre os colaboradores da mesma equipe.

E lembre-se, um feedback construtivo não deve soar e nem ser recebido como uma ofensa. A principal vantagem dele é o poder de transformação que pode ser causado a partir de um ponto de melhoria.

Sempre se preocupe em acompanhar junto a isso, um feedforward. Ou seja, com o foco no que o colaborador deve fazer daqui para frente de maneira a sempre buscar sua evolução contínua.

Avaliação de desempenho

A avaliação de desempenho vem para acompanhar a evolução do funcionário. Portanto, como já mencionado, o feedback é uma das estratégias que serve como uma análise da produtividade de cada indivíduo ou grupo.

Pode ser montado também um questionário a respeito para até examinar o engajamento quanto a cultura e valores da empresa.

Nessas perguntas, podem ser abordadas dois principais temas: o como, voltado a comportamento e o que, para resultados.

Assim, a respeito da escala adotada, vai a gosto de cada empresa. Pode ser em forma numérica (1, 2, 3) ou em representação de conceitos (abaixo do esperado, esperado, acima do esperado).

No final, o que vai importar mesmo é saber como está o desempenho e traçar planos de ações para que os resultados sejam entregues.

Mimos

Quem não gosta de receber mimos, não é verdade? Uma boa dica que eu posso dar, é fazer o mapeamento de todas as datas comemorativas que fazem sentido para a empresa celebrar ou presentear.

Logo, a partir daí, pode ser feito um planejamento do que irá ser realizado quando o dia chegar.

Coisas elaboradas podem tomar tempo, e para os presentes, é sempre importante também escolher bem antes de comprar.

Por isso a importância programar antecipadamente o que se pretende realizar. Lembre-se, não são os detalhes que fazem a diferença, os detalhes são as diferenças.

Confraternização e Eventos

Com a situação atual, fazer uma confraternização física com todos os colaboradores, não é uma solução. Porém, como tudo em nossas vidas, tivemos que nos readaptar, portanto isso não seria diferente.

Reunir os colaboradores de forma online para uma comemoração de meta, um happy hour, são opções sempre muito válidas!

Dessa forma, desde a liberação de um cupom no Ifood para que todos possam tomar um café da manhã juntos ou a promoção de algum evento interno de jogos, são ideias que podem quebrar um pouco da rotina cansativa dos membros e proporcionar uma integração entre todos.

Rodas de conversa

A roda de conversa é uma estratégia muito boa para poder trazer para dentro da empresa assuntos que muitas vezes podem ser passados despercebidos durante o dia-a-dia.

Logo, é uma maneira de fazer com que os membros possam se sentir mais à vontade de se expressar e também, de mostrar a eles que estão sendo escutados.

Na Dinâmica, alinhamos as rodas de conversa promovidas entre todos da empresa junto à palestras de pessoas que possuem o seu lugar de fala e propriedade a respeito do assunto.

Dessa forma, muito mais do que escutar, também nos conscientizamos.

Pesquisa de clima

Realizados todos os planos de ação acima, como saber se o que está sendo feito, atinge as expectativas também dos colaboradores?

Logo, a pesquisa de clima vem para dar respostas!

Com ela é possível levantar alguns pontos de atenção necessários para poder promover a melhora das estratégias feitas pelo RH ou líderes no geral.

É imprescindível que seja feita de forma anônima para que os funcionários se sintam mais à vontade para se expressarem.

Outro ponto a se atentar é que devem ser elaboradas perguntas estratégicas para o que se quer medir.

Dessa forma, podem ser feitos questionamentos que abordem a respeito da comunicação interna, engajamento, diversidade e respeito e o grau de satisfação em si da pessoa estar trabalhando na empresa.

Pense como uma ferramenta poderosa para a empresa, pois otimiza, torna mais eficaz a tomada de decisão dos líderes e cria um clima muito mais saudável.

Quanto a sua periodicidade, cabe também ao RH definir isso. Uma vez que, a partir do feedback que é coletado nessa pesquisa, é preciso traçar planos de ações para melhorar e aplicar o que foi proposto pelos funcionários.

Conclusão

É importante como um todo, não apenas à área de gestão de pessoas promover a humanização dos colaboradores.

Os líderes devem estar alinhados e buscar otimizações juntos acerca do crescimento contínuo dos funcionários, por isso a pauta da descentralização da gestão de pessoas.

E uma tarefa que não fica destinada somente a essa área, mas sim a todos os diretores, é reforçar os valores e propósito da empresa.

Porém, a questão não é fazer com que entendam apenas o impacto da organização, é preciso que elas vivam isso nos dia-a-dia inconscientemente em todas as suas ações.

Dessa forma, todos caminham alinhados com o mesmo objetivo e fortaleçam o sentido de estar fazendo o que de fato fazem.

Se sua empresa não possui alguns dos pontos mencionados acima, nós podemos te ajudar! Possuímos um conteúdo sobre Gestão de Pessoas que ressalta a importância do eNPS, então não deixe de conferi-lo aqui!

E entre em contato conosco para saber mais e discutirmos juntos as estratégias ideais para sua empresa!

Por: Thais Tiemi Gushiken