consumo consciente

Por que o consumo consciente se tornou tão importante?

Atualmente, muito se fala sobre o quão escassos nossos recursos estão se tornando, todavia, as ações não são executadas na mesma intensidade. O consumo de qualquer produto ou serviço gera consequências tanto positivas quanto negativas para o ecossistema. Com o passar do tempo, essas reações são mais sensíveis, tanto para o meio ambiente quanto para os nossos bolsos sendo que quanto mais escassos nossos recursos se tornam, mais inacessíveis ficam seus preços.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Akatu (organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente), 150 milhões de novos consumidores entram no mercado por ano. Realizando projeções, é possível concluir que em 20 anos teremos cerca de três bilhões de pessoas consumindo (e desperdiçando) os recursos presentes no planeta.

Portanto, é perceptível que o imediatismo impresso na nossa sociedade trouxe consigo a perda da real valorização do que consumimos deixando a sensação de que tudo pode ser criado ou substituído com facilidade. Porém, na prática, não é bem assim…

Então, pensando em reduzir esses impactos negativos que o consumo exacerbado vem gerando, surgiu a noção do consumo consciente. Este traz questionamentos sobre os processos produtivos tradicionais e reflexões sobre suas origens e os impactos que eles causam.

 

Então, quem é o consumidor consciente?

Um consumidor consciente é aquele que tem responsabilidade com o meio ambiente e incorpora em sua rotina ações que prezam pela preservação da qualidade do meio social no qual vive. Além disso, ele procura conscientizar e mobilizar aqueles que ainda não tem a devida noção de como podem colaborar para essa preservação. Em termos práticos, o consumidor que é consciente dá preferência para aqueles produtos feitos de material ecológico e que passam por processos que não agridem o meio ambiente.

Sendo assim, o consumo consciente pode ser dividido em quatro diferentes abordagens: consciência ecológica, economia de recursos, reciclagem e planejamento do consumo.

 

As diferentes abordagens do Consumo Consciente

Primeiramente, a consciência ecológica, que abrange a preferência do consumidor em adquirir um produto ou serviço provindo de empresas ecologicamente corretas e a mobilização e conscientização da sociedade.

Depois vem a economia de recursos que é a fase focada na utilização do bem adquirido de maneira racional, sempre buscando reduzir o desperdício de recursos.

A reciclagem é a terceira dimensão e aborda o final do ciclo de vida do produto/serviço, ou seja, seu descarte, visando a reutilização e reaproveitamento de materiais.

Por último, o planejamento do consumo, que preza pela compra de usados e a reutilização de produtos, direcionando para um estilo de vida mais consciente e simples e menos consumista.

Além da conscientização do consumidor, é importante que as empresas e prestadoras de serviço tenham o consumo consciente como base. Algumas utilizam até como vantagem competitiva, visto que a preservação do meio ambiente tem se tornado algo urgente. O assunto é tão atual e importante que foi incluso na agenda 2030 como um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, criados pela ONU, prezando, justamente, por padrões de produção e de consumo sustentáveis.

Tendo isso em mente, nós, da Dinâmica Consultoria, procuramos incluir em nossos projetos melhorias que tornem o processo mais enxuto, consciente e sustentável. Quer saber mais? Acesse nosso site!

Autora: Amanda Lagos