É indiscutível que todo tipo de organização possui inúmeros processos, atividades e tarefas. Entrelaçado a tudo isso, há uma infinidade de informações relacionadas que se não forem fielmente repassadas nada ocorrerá como planejado. Para que isso não aconteça, o perfil de um gerente se torna essencial nessa organização, pois como cita Drucker (1954, p.341) “O trabalho do gerente é similar ao trabalho do maestro sendo que o gerente, além de conduzir sua orquestra, desempenha também o papel de intérprete”.

As 3 competências essenciais de um gerente


Portanto, o gerente por meio do processo decisório e toda sua influência, tem a responsabilidade de escolher os caminhos da organização e executar escolhas através de si próprio e através de seus comandados.

E, para que as escolhas desses caminhos sejam tomadas da melhor maneira possível em meio a tantas variáveis, o gerente precisa ter 3 competências que são consideradas essenciais:

Interpessoal: É a habilidade de lidar com outras pessoas, dentro ou fora da organização, de forma adequada às necessidades de cada pessoa e às exigências da situação, sendo então totalmente necessária para o exercício pleno das funções de liderança do gerente.

Informacional: O gerente é colocado como centro das informações, o que pode ser explicado pelos contatos interpessoais do gerente, decorrente da competência interpessoal do mesmo. Sendo assim, o gerente precisa entender o que está se passando a sua volta, afim de coletar a maior gama de informações possíveis e repassa-las para seus respectivos receptores. É extremamente essencial que o gerente não retenha essas informações, um ótimo gerente sempre as transmite, pensando no bem coletivo da organização.

Decisória: A situação privilegiada do gerente dentro da rede de comunicação exige que ele discuta e decida sobre os melhores caminhos para a organização.

Portanto, independente do gerente, sendo ele administrativo, financeiro, comercial, de produção ou de projetos, é totalmente essencial que possua essas três competências citadas acima, para que, no exercício de sua função, tudo seja planejado, organizado e controlado da melhor maneira possível. Ou seja, sempre visando o planejamento estratégico da organização.

Se quiser saber um pouco mais gerentes ou sobre como incorporar um espírito de liderança nos seus colaboradores, dê uma olhada no nosso blog.

 

Autor: Guilherme Tormem